Home Quem somos Legislação Estatuto Mensagem do Presidente Contato

São Paulo, 14 Dezembro 2018 - 08:19 PATRONATO ENAS BRASIL    Roma, 14 Dicembre 2018 - 11:19
Aposentadoria/Pensioni
- INPS
- INSS
- Acordo Internacional
Cidadania Italiana
- Orientação
- Traduções
- Trentini/Sammarinesi
Destaques
Notícias
Links Úteis
Informações
- Brasil
- Itália
bra
`A JUVENTUDE É A JANELA PELA QUAL O FUTURO ENTRA NO MUNDO`, DIZ O PAPA
 
 
 
 

Em sua primeira viagem ao exterior como Papa, Francisco foi recebido com muita festa no Rio, e falou diretamente para os jovens.

O Papa deve ter um dia de descanso depois da recepção calorosa dessa segunda-feira (22). Um dos coordenadores da Jornada Mundial da Juventude disse que alguns cardeais que acompanham o Papa já manifestaram preocupação quanto ao cansaço, embora ele mesmo não tenha demonstrado.

Na segunda-feira (22) ele teve um daí muito cheio, fez um longo vôo de 12 horas do Vaticano até o Rio de Janeiro, dispensou a cama, ou seja, deve acordar um pouco mais tarde nesta terça (23).

A equipe do Papa, toda a comitiva que acompanha o Papa no Brasil, cerca de 40 pessoas, também estão hospedadas na Residência Assunção, no alto do Sumaré, uma das casas da arquidiocese do Rio de Janeiro. E há até o momento uma programação de visita ao Cristo Redentor dessa comitiva, que o Papa de repente também pode participar, mas em função do mau tempo, talvez ele não participe.

O Papa, na segunda-feira (22), teve um dia muito cheio e fez questão de estar perto do povo. Na primeira viagem internacional, o Papa Francisco foi mais do que pontual. O avião chegou 15 minutos antes da hora marcada.

Ainda nas escadas da aeronave, o primeiro sorriso. O pontífice foi recebido pela presidente Dilma Rousseff e com flores entregues por duas crianças. Gustavo, de apenas nove anos, foi a segunda pessoa a falar com o Papa no Brasil. “Achei que minha vida ia mudar, foi uma graça divina”, conta Gustavo Silva Clamente, de 9 anos.

Francisco cumprimentou autoridades e abraçou o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. Fez questão de assistir ao coral de 120 crianças, e de aplaudir.

Em seguida, o Papa partiu em um carro fechado para o Centro do Rio. Um modelo sem luxo. No trajeto de quase 20 quilômetros, os vidros ficaram abertos.

Quando o carro se aproximava do Centro da cidade, a velocidade foi reduzida. Fiéis que esperavam pela passagem do Papa invadiram as pistas para ver Francisco mais de perto.

Alguns metros adiante, o momento mais tenso para a equipe da segurança. A comitiva que seguia para a Catedral Metropolitana acabou presa em um congestionamento.

De um lado a multidão, que queria se aproximar do Papa, e do outro, uma fila de ônibus.

Preocupação para os agentes. Oportunidade para centenas de fiéis, que queriam ficar mais perto, tocar no papa. Muitos conseguiram.

Um dos carros que lideravam o comboio bateu no veículo da Guarda Municipal. O secretário municipal de Transportes disse que desconhecia o trajeto escolhido, segundo ele, pela Polícia Federal.

“Essa foi uma mudança em cima da hora, não prevista, não sabemos se por solicitação do próprio Papa ou de quem estava na comitiva. Pelo menos a prefeitura desconhecia aquele trajeto, e aquele trajeto, que evidentemente era um trajeto que colocava o Papa em uma via de grande movimentação. Mas correu tudo bem, a passagem pelo centro foi um grande sucesso e as pessoas estão felizes e emocionadas”, diz Carlos Roberto Osório, secretário municipal de Transportes - Rio.

Na catedral, o pontífice embarcou no papamóvel. Sem blindagem, sem vidros. Após muitas horas de espera, a recompensa. Para milhares de fiéis e curiosos reunidos no Centro da cidade, foi a única chance possível de ver o Papa bem de perto.

“Consegui. De longe mais ou menos quando ele passou, ele deu com a mãozinha”, diz Zilda da Veiga, 86 anos.

Dezessete ruas foram interditadas para o desfile. Por onde passou, ao longo de um quilômetro e meio, o Papa acenou, beijou crianças, conquistou corações.

Depois, Francisco foi até o Terceiro Comando Aéreo Regional e embarcou em um helicóptero da Força Aérea Brasileira em direção ao Palácio Guanabara, sede do governo do Rio.

A presidente Dilma Rousseff abriu a cerimônia oficial de boas vindas. “É uma honra para o povo brasileiro recebê-lo. A presença de sua santidade no Brasil os oferece a oportunidade de renovar o diálogo com a Santa Sé em prol de valores que compartilhamos. A justiça social, a solidariedade, os direitos humanos e a paz entre as nações”, declarou Dilma.

Francisco falou em seguida. "Aprendi que para ter acesso ao povo brasileiro é preciso ingressar pelo portal de seu imenso coração", disse.

Mostrou humildade. "Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado, Jesus Cristo".

E depositou confiança nos jovens. “A juventude é a janela pela qual o futuro entra no mundo, e por isso nos impõe grandes desafios. A nossa geração se demonstrará à altura da promessa contida em cada jovem quando souber abrir-lhe espaço”, disse o pontífice.

Em nota, os responsáveis pela segurança do Papa, entre eles, a Polícia Federal e a prefeitura, fizeram uma avaliação positiva da chegada do pontífice. Destacaram que não houve incidentes envolvendo o Papa ou os fiéis e que a retenção na Presidente Vargas decorreu de uma série de fatores, entre eles opções feitas pelo Vaticano.

Segundo o porta-voz da Santa Sé, padre Frederico Lombardi, em nenhum momento o Papa teve medo por ter seu carro cercado pela multidão.

 

Fonte:
G1