Home Quem somos Legislação Estatuto Mensagem do Presidente Contato

São Paulo, 14 Dezembro 2018 - 08:23 PATRONATO ENAS BRASIL    Roma, 14 Dicembre 2018 - 11:23
Aposentadoria/Pensioni
- INPS
- INSS
- Acordo Internacional
Cidadania Italiana
- Orientação
- Traduções
- Trentini/Sammarinesi
Destaques
Notícias
Links Úteis
Informações
- Brasil
- Itália
bra
PAPA TORNA HOJE FREI GALVÃO 1º SANTO DO BRASIL
 
 
 
 

Bento 16 vai quebrar a própria regra nesta sexta-feira, a partir das 8h30 (horário de Mato Grosso do Sul), ao fazer de Antonio de Sant`Anna Galvão, o "Frei Galvão", o primeiro santo brasileiro. Contrariando o que havia anunciado ao assumir o cargo no Vaticano, em 2005, a canonização acontece fora de Roma.

No altar montado no Campo de Marte, em frente a milhares de fiéis, o papa irá ler o decreto de santificação após a apresentação de uma biografia do religioso. Difícil será, em poucos minutos, condensar a vida do franciscano que construiu o mosteiro da Luz com as próprias mãos e criou as pílulas de papéis, milagrosas segundo seus devotos.

A missa no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, deve durar duas horas. Para o evento, 1 milhão de pessoas são esperadas. Antes de iniciar o ato religioso, o papa Bento 16 fará um giro dentro do papamóvel entre os fiéis. Nascido em uma família rica e influente em Guaratinguetá, no ano de 1739, o menino Antonio cresceu em uma casa de dez cômodos servido por 28 escravos. Mas não se deslumbrou com o luxo e aprendeu com os pais o ato da caridade. Ainda criança, via a mãe dar o que tinha em casa aos pobres.

Aos 13 anos, seu pai o mandou estudar no Seminário de Belém, escondido em Cachoeira, a 109 km de Salvador. Da ordem dos jesuítas, era o melhor colégio religioso da época. Foi um aluno notável e decidiu seguir a vida religiosa. Teve de mudar de ordem, porém -os jesuítas estavam sendo perseguidos no país e seus colégios acabaram fechados. Antonio abraçou a ordem dos franciscanos, da qual seu pai já fazia parte. Em 1762, foi transferido, já ordenado, para o Convento de São Francisco, no centro de São Paulo, onde permaneceu por 60 anos.

Terras paulistas

Em terras paulistas, realizou seus feitos: tornou-se poeta e membro-fundador da Academia dos Felizes, primeira academia de letras de São Paulo; passou 28 anos construindo o mosteiro e a igreja da Luz; peregrinou a pé pelo Estado em busca de donativos; pagou dívidas de trabalhadores sem que soubessem; começou, sem querer, a propagar sua fama de santo mesmo em vida.

Alguns episódios contribuíram para isso. Histórias da época contam que o frade teria o dom da bilocação (capacidade de estar em mais de um lugar ao mesmo tempo) e, por várias vezes, teria sido visto por devotos em dois locais na mesma hora. Para reforçar a crença de que ele era, no mínimo, alguém especial, casos de cura começaram a ser relatados.

Tudo por conta das pequenas pílulas que, quase sem querer, frei Galvão acabou criando nos últimos anos do século 18. Procurado por um pai que não sabia mais o que fazer para aplacar as dores de um filho que sofria de pedras nos rins, ele decidiu escrever em um pequeno pedaço de papel um trecho em latim do Ofício de Nossa Senhora. Enrolou o papel e deu ao homem para que ele fizesse o filho tomá-lo. Ordem cumprida, o doente expeliu as pedras e não sentiu mais dor.

O fato se repetiu pouco tempo depois com uma mulher que corria risco na hora do parto. Pílula tomada, mãe e filho ficaram salvos. As histórias correram de boca em boca e, em pouco tempo, fiéis iam a procura das pílulas. Ao morrer, em dezembro de 1822, elas já eram feitas pelas freiras do mosteiro. Mesmo após sua morte, a devoção continuou aumentando e, em 1938, começou o primeiro processo para a canonização do frade, que não seguiu adiante.

Em 1986, o processo foi reaberto e o primeiro milagre atribuído a frei Galvão por causa das pílulas (a cura de uma menina) recebeu reconhecimento do Vaticano em 1998. João Paulo 2º fez do frade um beato. Oito anos depois, um segundo milagre (a salvação de mãe e filho em uma gravidez cientificamente improvável) foi confirmado por Bento 16, que anunciou a canonização.

Multidão

Pelo menos um milhão de pessoas já estão reunidas no Campo de Marte (zona norte) para a canonização do frei franciscano Antônio de Sant`Anna Galvão, o frei Galvão, o maior evento religioso já realizado no País. A previsão é que o evento, que será celebrado hoje pelo papa Bento 16 possa reunir até 1,5 milhão de pessoas, segundo o coronel da Polícia Militar Luiz Flávio Codelo.

O acesso ao público foi liberado à 1h de hoje, quando 500 mil pessoas já esperavam para conseguir um bom lugar na missa. À meia-noite, segundo Codelo, 200 mil aguardavam do lado de fora. Acompanhe ao vivo a visita do papa Bento 16 ao Brasil em tempo real na Folha Online.

Vários devotos de frei Galvão aguardam ansiosamente pelo início da missa de canonização. Esse é o caso de Maria Charam, 86, que saiu cedo do Mandaqui (zona norte) para acompanhar a celebração. Sem andar por problemas no fêmur, ela disse que toma as pílulas de frei Galvão uma vez por mês. Ela veio com o filho, Markiano Charan, 43, deficiente visual.

Bento 16 deve sair do mosteiro São Bento (centro) por volta das 7h30 e seguir em veículo convencional blindado para o Campo de Marte. A chegar, por volta das 8h, o papa deverá circular entre os fiéis de papamóvel. A missa está programada para começar às 8h30 - e acabar por volta das 11h. Após a cerimônia de canonização, Bento 16 retorna para o mosteiro de São Bento, onde participa de uma cerimônia de despedida.

De lá, ele segue para a Catedral da Sé (centro) para um encontro com bispos. Em seguida, retorna para o Campo de Marte, onde embarca para Aparecida de helicóptero. Por conta da quantidade de pessoas esperadas, a Prefeitura de São Paulo recomenda aos fiéis que utilizem ônibus e metrô para chegarem ao local. Linhas de ônibus saem da estação Barra Funda (zona oeste) em direção ao Campo de Marte. Todos os trajetos utilizados pelo papa serão interditados para os demais veículos.

Os fiéis devem prestar atenção às regras de segurança criadas para quem assistir à missa de canonização. O público que vai participar da celebração deverá passar por uma revista --tanto homens quanto mulheres. A segurança vai barrar a entrada de objetos perfuro-cortantes. Por conta disso, guarda-chuvas serão proibidos. Para evitar transtornos, é melhor levar capas de chuva e casacos para enfrentar as temperaturas baixas.

Objetos quebráveis também serão vetados. Dessa forma, garrafas de vidro deverão ficar do lado de fora. O público poderá levar alimentos para o local. Câmeras fotográficas e filmadoras também serão permitidas.

Passagem

Ontem, em seu segundo dia da viagem ao Brasil, o papa quebrou o protocolo. Da sacada do mosteiro São Bento, na região central de São Paulo, o papa acenou para o público que esperava por sua passagem. O gesto - repetido outras vezes - não constava da agenda original do sumo pontífice.

Do mosteiro (pela manhã), o papa partiu para o Palácio dos Bandeirantes (zona oeste), onde iniciou uma agenda repleta de compromissos. Lá, ele foi recebido pelo governador de São Paulo, José Serra, e por sua mulher, Mônica Serra.

Em seguida, o papa teve um encontro reservado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a primeira dama, Marisa Letícia, de aproximadamente dez minutos. No encontro, Bento 16 pediu a Lula a assinatura de um acordo de regulamentação da Igreja Católica no país. Esse acordo passa por questões sociais e tributárias.

Mas Lula disse ao papa que vai "preservar e consolidar o país como Estado laico". O papa, por sua vez, teria afirmado reconhecer o Brasil como Estado laico e que respeitava essa posição. De lá, ele seguiu para o mosteiro de São Bento para participar de um encontro ecumênico com representantes de outras religiões. O rabino Henry Sobel disse que saiu "leve e alegre" do encontro com Bento 16.

 

Em seguida, o papa almoçou no mosteiro com a direção da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) --onde foi servido nhoque de mandioquinha. À tarde, o papa recebeu empresários como Antônio Ermírio de Moraes (Votorantim) e Lázaro Brandão (Bradesco). Serra também voltou a se encontrar com o papa para pedir a beatificação da irmã Dulce.

Antes de seguir para o encontro com jovens no Pacaembu (zona oeste), o papa passou pelo Memorial da América Latina (mesma região), onde descerrou uma placa de benção aos povos da região.

Fonte:
Midiamax

 

 

Confira a programação completa:

Quarta-feira (9)

16h30
- papa chega a São Paulo
- Cerimônia de boas vindas, ainda no aeroporto
- Discurso

17h30
- Sai do aeroporto de Guarulhos de helicóptero em direção ao aeroporto Campo de Marte

18h
- Chega ao aeroporto Campo de Marte, onde se encontra com autoridades locais

18h10
- Vai de papamóvel para o mosteiro de São Bento, onde passa a noite

18h45
- Chega ao mosteiro.
- Aparece na sacada para saudar os fiéis presentes

Quinta-feira (10)

8h
- Reza uma Missa privada na capela do mosteiro

10h30
- Vai de carro do mosteiro de São Bento para o Palácio dos Bandeirantes

11h
- Chega ao Palácio dos Bandeirantes, onde faz uma visita de cortesia ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva

12h
- Volta de carro do Palácio dos Bandeirantes para o mosteiro de São Bento

12h30
- Chega ao mosteiro, onde se encontra com representantes de outras religiões, entre eles o Rabino Henry Sobel

13h15
- Almoça com a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e sua comitiva, no mosteiro de São Bento

17h30
- Vai de carro ao Estádio Municipal do Pacaembu

17h50
- Chega ao estádio, onde se encontra com jovens católicos

18h
- Discurso

20h
- Volta de carro ao mosteiro de São Bento, onde passa a noite

20h30
- Chega ao mosteiro

Sexta-feira, 11 de maio

8h30
- Vai de carro ao aeroporto Campo de Marte, onde realiza uma missa e a canonização de frei Galvão

9h
- Chega ao Campo de Marte, onde anda, de papamóvel, entre os fiéis

9h15
- Chega à sacristia junto ao palco onde a missa será realizada

9h30
- Início da missa
- Homilia do papa

11h45
- Volta à sacristia

12h
- Volta de carro ao mosteiro de São Bento

12h15
- Chega ao mosteiro

15h40
- Cerimônia de despedida do mosteiro de São Bento

15h45
- Vai de carro aberto à Catedral da Sé, onde encontra os Bispos do Brasil

16h
- Chega à Catedral

- Discurso

17h15
- Vai de papamóvel ao aeroporto do Campo de Marte

17h45
- Chega ao Campo de Marte, onde é recebido por autoridades locais

18h
- Vai de helicóptero para Aparecida

19h
- Chega ao santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, onde é recebido por autoridades locais
- Vai de carro aberto ao Seminário "Bom Jesus" de Aparecida, onde passa a noite

19h30
- Chegada ao Seminário

Sábado (12)

8h
- O papa reza uma missa privada na Capela do Seminário "Bom Jesus"

9h30
- Vai de carro à Fazenda da Esperança, em Guaratinguetá

10h30
- Chega à Fazenda da Esperança

10h45
- Encontra-se com a comunidade da fazenda
- Discurso

11h45
- Volta de carro ao Seminário "Bom Jesus", em Aparecida

12h45
- Chega ao Seminário, onde almoça com a presidência da 5ª Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe

17h45
- Vai de carro aberto ao santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

18h
- Chega ao santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida
- Reza do Santo Rosário e encontra-se com sacerdotes, religiosos, seminaristas e diáconos na Basílica do santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

19h30
- Volta de carro ao Seminário de Bom Jesus, onde passa a noite

19h45
- Chega ao Seminário

Domingo (13)

9h15
- Vai de carro abeto ao santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida
basílica de Nossa Senhora Aparecida

9h30
- Passeia de carro aberto entre os fiéis

9h45
- Chega à Sacristia junto ao pórtico do santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

10h
- Reza a Missa de inauguração da 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe na praça em frente ao santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida
- Homilia do papa
- Reza do Regina Coeli
- Palavras do papa

12h15
- Volta à Sacristia

12h30
- Volta de carro ao Seminário "Bom Jesus"

12h45
- Chega ao Seminário

15h45
- Vai de carro à sala de conferência do santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

16h
- Chega ao local, onde participa da sessão inaugural dos trabalhos da 5ª Conferência
- Discurso

17h30
- Volta de carro ao Seminário "Bom Jesus"

17h40
- Chega ao Seminário

18h20
- Cerimônia de despedida do Seminário de "Bom Jesus", em Aparecida

18h30
- Vai de carro ao heliporto do santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

18h40
- Chega ao heliporto, onde se despede das autoridades locais

18h50
- Vai de helicóptero ao aeroporto de Guarulhos

19h40
- Chega ao aeroporto, onde realiza uma cerimônia de despedida
- Discurso

20h15
- Volta para Roma.