Home Quem somos Legislação Estatuto Mensagem do Presidente Contato

São Paulo, 10 Dezembro 2018 - 11:20 PATRONATO ENAS BRASIL    Roma, 10 Dicembre 2018 - 14:20
Aposentadoria/Pensioni
- INPS
- INSS
- Acordo Internacional
Cidadania Italiana
- Orientação
- Traduções
- Trentini/Sammarinesi
Destaques
Notícias
Links Úteis
Informações
- Brasil
- Itália
‘VELHINHOS’ BRASILEIROS NÃO TÊM POUPANÇA
 
 
 
 

57% DE QUEM TEM MAIS DE 60 NÃO POUPOU. SE VIER A REFORMA DA PREVIDÊNCIA...

A maioria (57%) dos consumidores com mais de 60 anos de idade não possui qualquer tipo reserva financeira ou investimentos. A revelação é de pesquisa encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz sobre a atividade econômica na terceira idade.

Segundo a pesquisa, apesar de 72% dos consumidores com mais de 60 anos declararem ter uma situação financeira estável, essa situação parece não ter sido acompanhada de uma preparação financeira para aproveitar a terceira idade. A pesquisa entrevistou 632 pessoas com mais de 60 anos, em todas as capitais brasileiras.

A maioria dos idosos está na corda bamba quando o assunto é imprevisto: 57% não possuem nenhum tipo de investimento ou qualquer reserva de dinheiro.

“Essa situação é ainda mais comum entre os entrevistados com baixa escolaridade (68%) e os pertencentes às classes D e E (77%)”, destaca a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti, segundo a Agência Brasil.

Para a especialista, esse tipo de reserva é essencial – principalmente na terceira idade: “É o momento em que a pessoa precisa ter uma boa poupança para lidar com imprevistos de saúde, arcar com despesas de remédios, completar os itens básicos do mês que não puderam ser comprados com a aposentadoria e, claro, aproveitar os prazeres dessa fase da vida”, assinala Marcela.

De acordo com o estudo, a preocupação com os familiares e amigos é um dos principais motivos para os consumidores com mais de 60 anos não conseguirem fazer um pé de meia: quase a metade dos idosos entrevistados (47%) garante que pensa no futuro da família e deixa de fazer coisas que gostaria para manter uma reserva financeira.

 

Fonte:
Monitor Digital