Home Quem somos Legislação Estatuto Mensagem do Presidente Contato

São Paulo, 18 Dezembro 2018 - 21:31 PATRONATO ENAS BRASIL    Roma, 19 Dicembre 2018 - 00:31
Aposentadoria/Pensioni
- INPS
- INSS
- Acordo Internacional
Cidadania Italiana
- Orientação
- Traduções
- Trentini/Sammarinesi
Destaques
Notícias
Links Úteis
Informações
- Brasil
- Itália
GOVERNO DILMA TEM REPROVAÇÃO RECORDE DE 62%, APONTA DATAFOLHA
 
 
 
 

A taxa de reprovação do governo Dilma Rousseff (PT) chegou a 62% após em seu terceiro mês no segundo mandato, segundo apontou a pesquisa Datafolha. Com esse número, Dilma atingiu a pior marca de um presidente desde 1992, quando Fernando Collor de Mello alcançou 68% de reprovação na véspera de seu impeachment. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Com a piora na economia, a reprovação da petista subiu 18 pontos desde fevereiro e, pela primeira vez, atingiu a maioria da população. A pesquisa foi feita com 2.842 eleitores logo após as manifestações de domingo.

Entre os que apontaram o mandato como ótimo ou bom, a taxa chegou a 13%, a menor aprovação de Dilma como presidente. O momento é comparável com os piores momentos de Itamar Franco (que atingiu 12%) e Fernando Henrique Cardoso (13%), além do próprio Collor (9%).

No governo Lula, a menor taxa de aprovação foi de 28%, em dezembro de 2005, logo após a cassação do mandato parlamentar de José Dirceu (PT-SP).

Perfil da rejeição
Segundo o Datafolha, Dilma tem maior taxa de rejeição nas regiões Centro-oeste (75%) e Sudeste (66%), nos municípios com mais de 200 mil habitantes (66%), entre os eleitores com escolaridade média (66%) e no grupo dos que têm renda mensal familiar de 2 a 5 salários mínimos (66%).

A maior aprovação aparece na região Norte, com 21%. No Nordeste, a presidente aparece com 16% de aprovação. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Congresso
A pesquisa avaliou ainda aprovação do Congresso Nacional. Entre os entrevistados, 9% consideraram o trabalho dos parlamentares como ótimo ou bom. Para 50% da população, a atuação de senadores e deputados é ruim ou péssima.

 

Fonte:
Correio do Estado